Assegurado pela Polícia Nacional

O SCOE é devidamente monitorizado e controlado pela Polícia Nacional, que é responsável pela activação de todos os mecanismos de intervenção necessários a uma resposta rápida e eficiente dos pedidos de emergência.

Integração com o sistema existente

O SCOE permite a interligação às infra-estruturas de segurança já existentes e instaladas no cliente, sem risco de interferência ou conflito com as mesmas.

Disponibilidade 24 horas

Os sistemas e equipamentos instalados são acompanhados, em permanência 24 horas por dia, por operadores especializados, que agem de acordo com os procedimentos e políticas de acção estabelecidas.

OS DISPOSITIVOS

Kit para os Bancos & Kit para as Esquadras

  • BOTÃO DE PÂNICO
    Ao ser accionado, informa o Centro SCOE da ocorrência de uma situação de crise.
  • CÂMARA INTERNA
    Uma câmara colocada no interior do sistema fornece imagens, em tempo real, do que é observado, quando accionado informa o Centro SCOE da ocorrência de uma situação de crise.
  • MICROFONE
    Permite que, na agência bancária, qualquer pessoa comunique com o Centro SCOE.
  • ALTIFALANTE
    Permite que, dentro da dependência bancária, ouçam as indicações do Centro SCOE.
  • MÓDULO 4G
    No caso da ligação Ethernet ser inexistente, uma ligação 4G com o Centro SCOE permite que o sistema se mantenha operacional.
  • CÂMARA EXTERNA
    Uma câmara colocada junto ao balcão principal da agência bancária fornece imagens, em tempo real, do que é observado.
  • DETECTOR DE JAMMING
    Quando existem interferências nas comunicações GSM ou 4G, informa o Centro SCOE de uma possível situação de emergência.
  • SENSORES COMPLEMENTARES
    Sensores CAN Bus que, quando accionados, informam o Centro SCOE de uma possível situação de emergência.

VANTAGENS

  • Comunicação directa entre o Centro de Controlo e os módulos SCOE
  • Compatível com os equipamentos de segurança já instalados (não-interferente)
  • Acesso remoto às câmaras do sistema SCOE, em tempo real
  • Realização de um pedido de emergência através de um botão de emergência remoto
  • Elaboração de uma chamada telefónica entre o sistema SCOE e o Centro de Controlo
  • Possibilidade de associar ao sistema SCOE qualquer dispositivo ou sensor de emergência
  • Detecção de interferência nas comunicações entre o sistema SCOE e o Centro de Controlo
  • Sistema de comunicações robusto que permite contornar problemas relacionados com interferências
  • Dispositivo GPS permite a monitorização e controlo da posição geográfica do sistema SCOE
  • Gravação do histórico de ocorrências na Base de Dados do Centro de Controlo
  • Recepção dos pedidos de emergência realizada por equipas especializadas
  • Organização das Forças de Intervenção Policiais realizada por entidades oficiais directamente no Centro de Controlo
  • Acção rápida e organizada das Forças de Intervenção Policiais

COMO FUNCIONA?

ACTIVAÇÃO DO BOTÃO DE EMERGÊNCIA

O equipamento instalado pela integração do Sistema SCOE permite que o pedido de emergência seja activado de forma muito rápida, fácil e simples. Perante um momento crítico, basta pressionar o botão de emergência e, automaticamente, o Centro de Controlo SCOE toma conta da situação, iniciando todos os mecanismos de resposta necessários à rápida resolução da ocorrência.

RECEPÇÃO

O sistema SCOE permite uma acção imediata após a recepção do sinal de alarme. A activação do botão de emergência liga, em simultâneo, a câmara, o microfone e o altifalante, alertando de imediato o Centro de Controlo SCOE para o pedido de emergência.

RESPOSTA

Após verificação da veracidade do sinal de emergência, por parte dos operadores especializados do Centro de Controlo SCOE e, caso o sinal emitido seja de natureza crítica, uma equipa de polícia efectua o contacto directo com as forças de segurança que vão determinar o plano de acção e todos os meios de intervenção a destacar.

ESPAÇOS DE IMPLEMENTAÇÃO SCOE

As entidades bancárias têm por missão colocar ao dispôr dos cidadãos, agentes económicos e institucionais, sistemas seguros de transacção e de depósito de moeda e de valores. Actualmente, uma das maiores prioridades das políticas de gestão é, precisamente, assegurar a integridade e protecção das instalações e de todas as valias que ali estão confiadas.

O SCOE visa oferecer um serviço de fidelização dos sistemas electrónicos de segurança instalados nas instituições bancárias ao conecta-los aos órgãos de segurança e ordem pública da Polícia Nacional. Desta forma a Polícia Nacional pode actuar rapidamente em situações críticas de emergência, com operacionais altamente preparados e com estratégias definidas por profissionais especializados em áreas de crise.

As dependências bancárias têm no sistema SCOE um sinónimo de confiança e fidelização dos pedidos de emergência, já que se trata de um serviço com uma capacidade única de resposta face ao elevado nível de exigência que o sistema financeiro exige.

Dedicadas à compra e venda de divisas, as casas de câmbio constituem uma actividade económica importante e encontram-se instaladas em locais estratégicos de acesso simples para os clientes (aeroportos, agências de rua, terminais de transportes ou superfícies comerciais).

Com um constante fluxo de transacções e clientes, as casas de câmbio são um alvo apetecível para assaltos e intrusões. Sendo empresas privadas, têm a competência de zelar pelo capital que manuseiam e assegurar um ambiente vigiado e responsivo face a potenciais situações de perigo.

Previsto para breve o sistema que vai interligar estes agentes económicos, o SCOE, prevê fidelizar esta actividade, ligando-as à Polícia Nacional logo imediatamente após conclusão das entidades bancárias.

A indústria e o comércio são cruciais na economia e desenvolvimento de um país. É de relevante pertinência assegurar que as suas actividades decorrem sem incidentes que possam colocar em risco as suas instalações ou capital.

A diversidade das unidades fabris e espaços comerciais existentes exige uma abordagem inovadora e flexível, pois cada infra-estrutura tem necessidades próprias e distintas das demais. Fábricas, centros comerciais, hipermercados e supermercados, assim como comércio de rua, exigem uma atenção redobrada em momentos de crise, para que a normalidade seja reposta o mais rápida e eficazmente possível.

A interligação ao sistema SCOE, vai permitir a estes espaços ter um ponto de acesso directo à plataforma polícial, visando a rápida intervenção em caso de emergência.

Os edifícios de escritórios e serviços assumem um papel relevante nas dinâmicas da cidade pois reúnem empresas de dimensões variadas mas, ao mesmo tempo, têm impacto na economia pública e privada dos estados. Devem, por isso, ser alvo de atenção e preocupação acrescida, na salvaguarda da integridade das infra-estruturas e equipamentos de cada espaço.

Invasão de propriedade, furto ou roubo, actos de vandalismo ou incêndios são algumas das situações de crise que ocorrem em centros empresariais e de serviços e para as a quais é necessário haver uma resposta verdadeiramente eficaz.

Em casos muito específicos, algumas unidades estratégias para a economia vão ser abrangidas pelo sistema SCOE, com as vantagens que dai advém para a sua fidelização e monitorização.

NOTÍCIAS

Banco KEVE

Foi no dia 8 de Junho de 2015, nas instalações sede do Banco KEVE, que teve lugar o primeiro encontro com os responsáveis desta Instituição Bancária. A delegação da Polícia Nacional chefiada pelo Engenheiro Rui Bram, na qualidade de...

Saiba mais

Banco Caixa Totta

Realizou-se no dia 26 de Junho de 2015, nas instalações sede do Banco Caixa Totta, o primeiro encontro com os responsáveis deste Banco. O Engenheiro Rui Bram, Director do Projecto, e a restante delegação da Polícia Nacional foram recebidos...

Saiba mais

Banco de Comércio e Indústria

No dia 8 de Junho de 2015, nas instalações sede do Banco de Comércio e Indústria, realizou-se a primeira reunião com os responsáveis desta Entidade Bancária. Chefiada pelo Engenheiro Rui Bram, Director do Projecto, a delegação da Polícia Nacional...

Saiba mais