O SCOE

O Eng.º Rui Bram é o autor e projectista do sistema SCOE. Após o desenvolvimento e implementação dos novos sistemas de emissão e impressão de cartas de condução e livretes em Angola, na Direcção Nacional de Viação e Trânsito, o Eng.º Rui Bram ficou responsável pela direcção, desenvolvimento e implementação do projecto SCOE. A ideia deste projecto adveio da vontade demonstrada pela Polícia Nacional de Angola em resolver os problemas relacionados com situações de emergência específicas a que as entidades económicas se vêem confrontadas diariamente.

“Para segurança de todos, escolhemos o caminho da inovação”

O SCOE é um Sistema lançado pelo Ministério do Interior / Polícia Nacional e permite que as Forças de Segurança e Ordem Pública monitorizem e actuem em tempo real, sobre qualquer pedido ou situação de emergência, através do uso combinado de soluções tecnológicas. Todas as funcionalidades, meios técnicos e humanos, são optimizados e direccionados para a total garantia de rapidez de resposta.

Os sectores da banca e empresarial são de relevância estratégica e transversal em todos os Estados e em particular na sua economia. Da necessidade de rápida intervenção e actuação em situações de emergência, assim nasceu o Sistema de Convergência de Objectivos Estratégicos e Económicos (SCOE). Idealizado e conformado pela Policia Nacional, foi desenvolvido por profissionais especializados em engenharia bem como em operações de emergência.

O SCOE preconiza uma resposta única a situações críticas de emergência em espaços mais propensos a ocorrências que exigem uma intervenção rápida e eficaz de forças especializadas.

O SCOE integra tecnologia de ponta num serviço optimizado, moderno e inovador. Assente em três pilares de defesa fundamentais (detecção, comunicação e intervenção), este serviço de emergência actua a partir do momento em que há activação de um dos sensores e só termina quando se verifica o normal funcionamento do espaço monitorado.

Assim, a comunicação assume um papel preponderante em todo o processo, desde a validação da real existência de um momento crítico, passando pela definição de estratégia de actuação e, sobretudo, pelo contacto que se estabelece entre operacionais e pessoas presentes no espaço onde é necessária a intervenção.

No Centro de Atendimento de Emergências SCOE, especificamente preparado para as necessidades reais do ambiente onde se insere, acede-se em tempo real, a todos os sensores colocados nas instalações visadas pelo projecto, o que se traduz numa completa análise e acompanhamento total das intervenções necessárias.

O SCOE constitui uma resposta eficaz à necessidade urgente de modernização e adaptação das actuais infra-estruturas de vigilância, através do uso combinado de soluções tecnológicas, e permitindo que as forças de segurança actuem, em tempo útil, em qualquer situação crítica de emergência.

  • Comunicação directa entre o sistema SCOE e a Base de Dados no Centro de Controlo
  • Compatível com os equipamentos de segurança já instalados (não-interferente)
  • Acesso remoto às câmaras do sistema SCOE, em tempo real
  • Realização de um pedido de emergência através de um botão de emergência remoto
  • Elaboração de uma chamada telefónica entre o sistema SCOE e o Centro de Controlo
  • Possibilidade de associar ao sistema SCOE qualquer dispositivo ou sensor de emergência
  • Detecção de interferência nas comunicações entre o sistema SCOE e o Centro de Controlo
  • Sistema de comunicações robusto que permite contornar problemas relacionados com interferências
  • Dispositivo GPS permite a monitorização e controlo da posição geográfica do sistema SCOE
  • Gravação do histórico de ocorrências na Base de Dados do Centro de Controlo
  • Recepção dos pedidos de emergência realizada por equipas especializadas
  • Organização das Forças de Intervenção Policiais realizada por entidades oficiais directamente no Centro de Controlo
  • Acção rápida e organizada das Forças de Intervenção Policiais
X